quarta-feira, 1 de julho de 2009

Barulho do espelho

Tropecei no barulho do espelho
Vi à tarde azul depois da chuva
Pássaros voavam em harmonia
O vento soprava dentro do aquário
Enquanto o rio transbordava
Já era tarde depois da curva
Que virava para a esquerda
Das minhas lembranças
O mar estava calmo
Trancado na gaveta junto às cartas
De amor e precipício
Já era outro dia
Promessas e sonhos com flores azuis
Pintado no muro da rua
Que passa ao lado da ilusão
Atravessando a noite em claro
Fotografei a lua da janela do teu olhar.


Welington de Sousa
São Gonçalo-RJ 27/06/2009

2 comentários:

fabiano Silmes disse...

Caramba welington muito foda esse poema...Pô sem palavras este é com certeza um poema escrito com P maiúsculo!!!

Um grande Abraço!

Maeles Geisler disse...

obrigada por passar no meu blog...
adorei passar por aqui...
continue postando suas poesias.

Abraços
Maeles

Seguidores